terça-feira, novembro 30, 2004

Prenda



Uma prenda pa vocês!!!

( possível graças à ajuda dele, obrigada !!)


posted by In perfeita @ 1:02 da manhã 

|

sexta-feira, novembro 26, 2004

Mousse de chocolate

Separa-se a clara da gema de seis ovos.
Enquanto bates a claras em castelo, derreto em banho-maria a tablete de chocolate amargo juntamente um décimo do quilo de de manteiga.
De seguida envolvemos a centena e meia de gramas açucar no castelo de claras que criaste, batendo até atingir o ponto de suspiro.
Depois de tirar do lume o creme de chocolate derretido, não resisto a tentaçao de lá molhar o dedo...Provo eu...Dou-te a provar...
Entretando este já arrefeceu e junto-lhe as gemas....
Uma a uma... mexendo muito bem...
Olhas para mim e sorris: Tá quase, sim!
A estocada final consiste em envolver muito bem os dois preparados anteriores.
O branco no negro... o frio no quente.
Um momento perfeito onde os extremos se atraem...
Enquanto mexemos, trocamos cúmplices olhares...
Saboreamos e suspiramos...
Esta é a nossa receita de mousse de chocolate....

posted by In perfeita @ 10:24 da tarde 

|

segunda-feira, novembro 22, 2004

If...


"If yesterday could only be tomorrow,
And I knew then the things that I know now,
There'd be so much to remember,
And nothing to regret.
If I could do it all over somehow.

I only wish that I had held you closer;
Now you seem a million miles away
If yesterday could only be tomorrow,
And the clock had stopped just before it reached today.

If yesterday could only be tomorrow,
And the clock had stopped just before it reached today. "

Nat King Cole

posted by In perfeita @ 10:55 da tarde 

|

sexta-feira, novembro 19, 2004

Somos só...

Nada digo, nada dizes.
Apenas sorrimos.
Somos só, e apenas,
dois corpos que se abraçam.
Aqui.
Agora.
Nada mais importa....

posted by In perfeita @ 1:15 da manhã 

|

segunda-feira, novembro 08, 2004

Que escolher?

" O fardo mais pesado esmaga-nos, verga-nos, comprime-nos contra o solo. Mas, na poesia amorosa de todos os séculos, a mulher sempre desejou receber o fardo do corpo masculino. Portanto, o fardo mais pesado é também, ao mesmo tempo, a imagem do momento mais intenso de realização de uma vida. Quanto mais pesado for o fardo, mais próxima da terra se encontra a nossa vida e mais real e verdadeira é.

Em contrapartida, a ausência total de fardo faz com que o ser humano se torne mais leve do que o ar, fá-lo voar, afastar-se da terra, do ser terrestre, torna-o semi-real e os seus movimentos tão livres quanto insignificantes.

Que escolher, então? O peso ou a leveza?"


In “ A Insustentável Leveza do Ser”, Milan Kundera

posted by In perfeita @ 11:56 da tarde 

|